Proatividade-Emprelas

Proatividade: muito além de tomar a iniciativa

Compartilhe!

Proatividade: muito além de tomar a iniciativa

No texto anterior (leia aqui) falamos sobre a autoconsciência e como ela pode nos ajudar a termos uma visão pessoal mais adequada de nós mesmas e como isso afeta os nossos relacionamentos. No texto de hoje vamos discutir o conceito de Proatividade  ver que isso significa muito mais do que simplesmente tomar a iniciativa.

Proatividade

A Proatividade vai além de tomar a iniciativa para fazer algo. Ela implica que nó seres humanos somos responsáveis pelas nossas vidas, ou seja, nosso comportamento resulta de decisões tomadas, não das condições externas, embora elas nos influenciem.

Mesmo sendo influenciadas pelas condições externas possuímos iniciativa e responsabilidade suficiente para fazer acontecer.

Vamos ver o significado dicionarizado da palavra responsabilidade:

Responsabilidade
substantivo feminino.
  1. obrigação de responder pelas ações próprias ou dos outros.
  2. caráter ou estado do que é responsável.

Resumindo, responsabilidade é habilidade de escolher a sua resposta.

As pessoas proativas

As pessoas proativas acostumam-se a ter responsabilidade e isso implica em não colocar a culpa por seu comportamento nas circunstâncias ou no comportamento alheio. O comportamento das pessoas proativas é produto de um escolha consciente, baseada em valores e não simplesmente em sentimentos.

Stephen Covey , no livro Os 7 Hábitos das Pessoas Altamente Eficazes diz:

“As pessoas proativas carregam o tempo dentro de si. Faça chuva ou faça sol, não interessa, elas avançam graças aos seus valores. E se um de seus valores é realizar um trabalho de qualidade, ela não depende de o tempo estar bom ou não”

 

As pessoas reativas

Proatividade

As pessoas reativas são afetadas pelo ambiente físico e social. Se o tempo está bom, elas se sentem bem, caso contrário a performance muda.

No ambiente social geralmente se sentem bem quando alguém as trata bem. Se alguém a trata mal, o mundo cai e assume uma postura defensiva, colocando-se como vítima ou ainda uma postura protetora.

As pessoas reativas constroem sua vida emocional em torno do comportamento dos outros. Quando isso acontece permitimos que as fraquezas do outros, suas falhas de caráter e outros desvios, nos controlem. É tenso e desgastante viver assim.

Os valores

Gostaria de analisar junto com você o conceito de “valores”:

Valores são o conjunto de características de uma determinada pessoa ou organização, que determinam a forma como a pessoa ou organização se comportam e interagem com outros indivíduos e com o meio ambiente. (significados.com)

Stephen Covey diz que a capacidade de subordinar um impulso a um valor é a essência de uma pessoa proativa. Isso não significa que os proativos não sejam influenciados pelos estímulos externos (físicos, sociais ou psicológicos), mas que a resposta que dará a eles é uma escolha baseada em valores.

Se você tem como um dos seus valores pessoais a economia e vê uma promoção de bolsas e sapatos e cede ao impulso comprando sem necessidade duas bolsas e dois pares de sapatos só porque estavam baratinhos, sua atitude foi reativa e não proativa. A pessoa proativa condicionaria as circunstâncias ao seus valores e diria: mesmo sendo tentado a comprar o que não preciso não o farei porque tenho algo maior em mente (uma viagem por exemplo).

Eleanor Roosevelt disse certa vez: “Ninguém pode feri-lo sem o seu consentimento” já Gandhi numa citação semelhante, afirmou: ” Eles não conseguem tirar o nosso respeito próprio se não o entregarmos a eles”

Analisando as citações acima vemos concluímos que é nosso consentimento, a nossa permissão que faz com que certas coisas nos firam, muito mais que os próprios acontecimentos. Não estou dizendo que isso é fácil, pelo contrário é extremamente difícil por em prática, principalmente se viemos daquela cultura tacanha de responsabilizar os outros  e seus comportamentos pelos nosso problemas e insucessos.  Somos o que somos hoje por conta das escolhas se fizemos.

Deus cuida de nós, mas não quer que sejamos irresponsáveis

Vamos dormir, mas não vamos ser preguiçosas né rsrs! Fonte do Gif: http://mashable.com/

Eu acredito piamente que Deus cuida de nós, mas creio também que Ele não no exime de nossas responsabilidades.

Vejo muita gente que diz: “Tenho fé em Deus que vou passar nesse concurso” e então eu pergunto: “Como vai o seu ritmo de estudo?”  e a pessoa responde que tá meio desmotivado, mas espera passar na sorte.

Conheço muita gente que quer passar na sorte. Isso até pode acontecer (vai que dá certo rsrs). Mas o que não pode acontecer é queremos colher onde não semeamos, ou querer colher morangos quando plantamos cebolinhas. Tudo leva tempo e o preparo é importante no alcance dos nosso objetivos.

Proativos X Reativos

Proativos X reativos

Para identificar em qual lado você está, que tal observar a sua linguagem? Nossas atitudes e comportamentos geralmente derivam de algum modelo que seguimos, por isso é interessante usarmos nossa autoconsciência (falei disso no post anterior), para examinar esses modelos. Analisar a nossa linguagem é uma das formas de vermos se estamos mais para proativos ou para reativos.

Linguagem ReativaLinguagem Proativa
Não nada que eu possa fazerVamos ver alternativas
Sou assim e prontoPossa tomar outra atitude
Ele me deixa loucoPosso controlar meus sentimentos
Eles nunca vão aceitar issoVou buscar uma apresentação eficaz
Tenho de fazer issoPreciso achar a resposta apropriada
Eu precisoEu prefiro
Não possoEu escolho
Ah! se eu pudesseEu vou fazer

Extraído e adaptado de “Os Sete hábitos das Pessoas Altamente Eficazes”

E aí? Você tem mais tendência para a proatividade ou para reatividade? Nos próximos posts, com a graça de Deus, discutiremos mais sobre desenvolver a nossa proatividade.

Essa postagem foi inspirada na leitura do livro ” Os Sete Hábitos das Pessoas Altamente Eficazes, de Stephen Covey.  Eu comprei o meu aqui em Fortaleza, na livraria Leitura por R$59,90. Agora ele está bem mais em conta em algumas livrarias e sites. Veja a média de preços no site Buscapé

 

2 Comments

  • Reply Isabel Borgert novembro 12, 2017 at 1:11 pm

    Dani
    Acho que sou bem reativa e seria muito bom não ser influenciado pelo meio embora sabendo e cultivando responsabilidades . Bom seria podermos nunca “sair do caminho”.
    Bom domingo.

    • Reply Daniele Leite novembro 14, 2017 at 12:11 pm

      Eu também sou . Depois que comecei a ler mais sobre esse assunto comecei a mudar porque do contrário eu iria ficar louca rsrs. Foi uma questão de manter a sanidade no meu trabalho.
      Bjuu! Boa semana!

    Deixe seu comentário!