youtubers ganham dinheiro

Por que youtubers ganham dinheiro apesar da crise?

Por que youtubers ganham dinheiro apesar da crise?

Há alguns dias, escrevi um post falando como fiquei impressionado ao entrar em uma livraria e ver logo na entrada, uma pilha de livros escritos por vários youtubers e blogueiros, todos crianças e adolescentes.

Eles estão ganhando um bom dinheiro, em plena na crise econômica, enquanto muitos adultos graduados e pais de família estão desempregados.

 

Teriam eles sorte ou algum talento extraordinário?

youtubers ganham dinheiro

Na verdade, eles apenas nasceram em um mundo diferente e naturalmente agem de acordo com essa nova realidade. Enquanto uma grande parte das gerações de adultos, ainda estão tentando compreender essas mudanças, essa garotada está “jogando outro jogo”.

Um mundo diferente

A maior parte desses jovens youtubers estão no ramo do entretenimento. Eles criam seus os próprios canais, falando sobre diversos assuntos e competem em pé de igualdade com programas de TV pela atenção da sua audiência.

Não muito tempo atrás, não existiam muitas opções na mídia, fosse rádio ou TV. Tínhamos que ver ou ouvir o que estava ali e ponto. Ser capaz de produzir o seu próprio programa, sobre um assunto específico, era inimaginável. E mesmo que alguém muito rico quisesse criar um programa de TV sobre um assunto específico, seria inviável, devido a pequena e dispersa audiência, que não cobriria os custos da produção.

A internet e as mídias sociais mudaram tudo. Se o computador pessoal tornou as pessoas produtoras e editoras, a internet tornou todos distribuidores. Hoje, qualquer um pode usar a sua criatividade e criar o seu próprio “programa” no youtube ou um blog e se comunicar com o mundo todo.

O entretenimento é apenas um dos ramos da economia criativa, que é a industria que mais cresce e fatura no mundo. E isso não é à toa: a internet e as tecnologias digitais abriram possibilidade das pessoas criarem, divulgarem até mesmo, comercializarem produtos baseados em coisas “intangíveis”, ou seja não físicas, como cultura, conhecimento e experiências.

Se observamos com atenção, veremos que nos últimos anos, os negócios de maior valor foram aqueles que criaram produtos e serviços baseados em coisas intangíveis, como relacionamentos sociais (Facebook), busca de informações (Google) e entretenimento (Netflix).

A internet e as mídias sociais transformaram a forma como as pessoas vivem, buscam por informação, se divertem, trabalham e consomem. E esse estilo de vida digital, abriu um universo de oportunidades, entretanto, muita gente ainda não percebeu isso.

O outro jogo

Sem levar em conta a questão da relevância do tipo de conteúdo que esses garotos e garotas propagam pela internet (para muitos são coisas fúteis), existe algo sobre esse mundo diferente que podemos aprender com eles.

Por serem de uma geração que já nasceu em um mundo digital, intuitivamente eles entendem como as coisas funcionam e jogam de acordo com as novas regras.

Há pelo menos três coisas ou “regras” sobre esse novo mundo que é preciso entender, se quisermos aproveitar as oportunidades ao invés de ficarmos a margem.

#1 – Bens intangíveis

kindle

Nesse novo mundo digital, a indústria criativa prospera devida ao consumo de bens intangíveis ou seja, produtos não físicos, como informação, experiências, entretenimento, cultura.

Produtos baseados em criatividade como jogos de vídeo game, videos, músicas, livros e muitas outras coisas, sobre todo o tipo de assunto podem ser criados e comercializados livremente pela internet.

A internet possibilita a entrega desses bens em larga escala em qualquer lugar do mundo.
Por exemplo, qualquer tipo de conhecimento que resolva o problema de alguém – desde como se joga um certo tipo de jogo até como se faz um determinado tipo de exercício físico – existem alguém no mundo a procura e disposto a pagar.

Por serem baseados em criatividade, sua fonte de criação desses bens é infinita, assim como a sua demanda.

O que a nova geração consegue ver naturalmente e que a geração anterior tem dificuldade é o seguinte: no mundo existem pessoas com os mais variados talentos e conhecimentos (práticos ou teóricos) e também existem na outra ponta, outras pessoas no interessadas e mesmo dispostas a pagar por esses bens intangíveis. E a internet conecta esses dois pontos.Simples assim.

#2 – Nichos específicos

youtubers ganham dinheiro com nichos

Como já mencionei, existem pessoas no mundo com os mais variados tipos de interesses e problemas específicos. Antes da internet, era inviável alcançar e atender a todos esses subgrupos pelo mundo afora, por isso produtos de massa e hits de entretenimento eram o que tinha disponível.

Mas hoje, no mundo digital, não existem limites para a produção, armazenamento e distribuição de músicas, livros e vídeos. Entretenimento e conhecimento podem ser produzidos e entregues para qualquer um em qualquer lugar onde há internet.

O que você tem a dizer, ensinar e fazer, pode interessar a alguém e pode ser a sua fonte de renda.

Essas crianças e adolescentes youtubers estão apenas atendendo a demanda do nicho deles.

#3 – Protagonistas

youtubers ganham dinheiro

Então, hoje temos a tecnologia fazendo a ponte entre a demanda por bens intangíveis (entretenimento, conhecimento, cultura, etc) e a existência de nichos muitos específicos para essas demandas.

Isso quer dizer que qualquer um com acesso à internet pode produzir o seu próprio conteúdo e melhor, pode gerar receita através dele.

Embora tenha aumentado o número de Youtubers, Blogueiros (muitos deles dominam a lista de pessoas influentes para jovens) e profissionais que estão empreendendo pela internet, ainda pouca gente percebeu o tamanho do potencial e das oportunidades existentes.

Parece que muita gente encara isso como uma exceção, quando na verdade está mais próximo de se tornar a regra.

A redução dos empregos, mas não do trabalho

Muitos especialistas, tem feito previsões de que a tecnologia levará à redução dos empregos (no sentido de exercer a mesma atividade no mesmo lugar por muito tempo) mas não do trabalho.

Trabalho (no sentido de atender as demandas, seja por entretenimento ou por consultoria especializada, por exemplo) sempre existirá, pois as necessidades humanas são inúmeras e desejos de consumo são infinitos.

Quem já está navegando por esse oceano azul de oportunidades, como esses jovens youtubers que tomei como exemplo, cultivam o que eu chamo de ativos de riqueza na internet e é o que os faz prosperar nessa nova realidade.  Esse é um assunto vamos trabalhar no próximo post:

Conheça os 7 ativos dos negócios online de sucesso

Continue nos acompanhando nas redes sociais para ficar por dentro de novas publicações ou ainda siga o Emprelas por e-mail clicando aqui. Grande abraço!

 

No Comments

Deixe seu comentário!