Os sete hábitos das pessoas altamente eficazes

Os 7 hábitos das pessoas altamente eficazes

Compartilhe!

Os 7 hábitos das pessoas altamente eficazes

Quando vi o livro os 7 hábitos das pessoas altamente eficazes na prateleira da minha livraria preferida, meus olhinhos pularam, pois, produtividade é um tema pelo qual sou muito interessada. Estou sempre em busca de materiais novos para aprimorara minhas habilidades de gerir o tempo.

Comecei a folhear o livro ali mesmo. Não levei no mesmo dia, pois estava sem dinheiro, mas voltei no mês seguinte à livraria decidida a levar essa maravilha para casa. Verdadeiramente, desde que comecei a ler Os 7 hábitos das pessoas altamente eficazes, tenho tido uma noção mais clara sobre o que devo fazer para alcançar os meus objetivos.

Pedindo direção

direção

Bom , para quem não sabe, sou cristã, costumo sempre conversar com Deus sobre todas as coisas e havia pedido a Ele que me desse direção acerca de alguns sonhos e planos, pois eu precisava tirá-los do papel e conseguir implementá-lo de fato.

Às vezes, Deus não nos dá as coisas assim de uma vez, mas nos mostra ferramentas poderosas, com as quais, com esforço e dedicação, podem nos ajudar na concretização de nossos objetivos. Eu estou encarando o livro Os 7 hábitos das pessoas altamente eficazes como uma dessas ferramentas.

Uma jornada pelos setes hábitos

Livro Os sete hábitos das pessoas altamente eficazes

Vou começar aqui no Blog uma série de postagens sobre os meus aprendizados com o livro. Hoje quero falar com vocês o que aprendi como prefácio (é isso mesmo, acho que nunca aprendi tanto com o prefácio de um livro). Vamos começar?

O prefácio

O prefácio do livro começa falando dos desafios humanos mais comuns que enfrentamos. Resumi cada um deles com as minhas palavras acrescentando algumas considerações minhas:

1 – O medo e a insegurança

quase impossível não conhecermos pessoas que não temem o futuro, que receiam perder o emprego, não ter uma aposentadoria, não conseguir sustentar a família…

2 – O imediatismo

O velho “ Quero isso agora”. As pessoas querem tudo para já, mas esquecem que até chegar ao topo há todo um caminho a ser traçado, trilhado, planejado e executado. Isso não vale apenas para a questão financeira, mas a saúde, os relacionamentos, a vida. É preciso aprender a construir o hoje para colher no futuro

3 – A culpa e a condição de vítima

medo

Aquela velha mania do ser humano de encontrar culpados que não seja ele próprio é um atraso de vida. Temos que parar de culpar os outros pelos nossos fracassos e assumir a responsabilidade pelos nossos atos. Se algo deu errado, não procure culpados, busque soluções para resolver o problema.

4 – Desesperança

Há um versículo bíblico que diz que devemos ter bom ânimo. O bom ânimo caminha junto com a esperança e pessoas com o ânimo bom mesmo diante dos problemas estão esperançosas. Elas aprenderam a ser gratas pelo que têm, mas sem se acomodar na situação em que estão. Você precisa aprender a ser protagonista. Não importa no que você creia.

Eu, por exemplo, acredito que Deus tem o controle sobre minha vida, mas ele não me fez um fantoche em suas mãos. Ele me deu um pouco de cada atributo seu. Tenho criatividade, capacidade de pensar, de criar coisas, de sonhar e realizar.

Deus não realizará as coisas por mim (não que Ele não possa), mas Ele me dará as ferramentas para que eu possa vencer. Na filosofa protestante nós empreendemos qualquer coisa para glória de Deus, seja ela pequena ou grande.

5 – A ânsia de ser compreendido

compreensao

Todos querem ser ouvidos. Mas as pessoas querem muito mais do que ser ouvidas, elas querem ser compreendidas, valorizadas, reconhecidas.

Vou já se imaginou numa situação em que você sabe algo valioso para passar para um grupo ou para amigos e você percebe que não te dão a mínima? Como você se sente? Eu me sentiria (eu já me senti) desprezada, porque eu desejava ser ouvida, desejava tanto que não parava para ouvir as pessoas.  E é aí que está o segredo: ouvir, prestar atenção de verdade.

Quer ser compreendido? Comece compreendendo, mostrando que você se importa com o que outro tem a dizer também.

Boa parte das pessoas acredita que o segredo da influência é a comunicação. Mas a verdade é você só influencia quando as pessoas percebem que de alguma forma estão te influenciando também e isso acontece quando você para e escuta o que outro tem a dizer.

6 – O conflito e as diferenças

Apesar de ermos parecidos em muitas coisas, nós seres humanos temos muitas diferenças e isso se constata nos valores, na forma de vestir, nas motivações. Todas essas diferenças geram conflitos e isso é algo bem natural num universo de diferenças.

Quando há conflitos, ocorrem competições e sempre um dos dois lados quer ganhar. Alguém acaba cedendo, quando na verdade os sujeitos do conflito poderiam estar unindo suas habilidades para resolver determinado problema. Stephen Covey fala da cooperação criativa, desperdiçada muitas vezes nessas disputas.

7 – Estagnação pessoal

A natureza humana é quadridimensional: corpo, mente, coração e espírito e para cada dimensão dessa há um princípio e uma tendência. Stephen Covey as agrupa assim:

A – Corpo

Tendência cultural: manter o estilo de vida, tratar os problemas de saúde com remédios, cirurgias ou afins.

Princípio: evitar doenças e problemas cuidando da saúde, ou seja, alinhando o estilo de vida para que este fique em equilíbrio com os princípios de saúde conhecidos

B – Mente:

Tendência cultural: buscar entretenimento

Princípio: busca educação contínua, ler bastante

C – Coração:

Tendência cultural: Usar os relacionamentos com os outros para satisfazer os interesses próprios

Princípio: Ouvir os outros com respeito e servi-los. Essas duas coisas podem ser fonte de alegria

D -Espírito:

Tendência cultural: Ir na onda do ceticismo, não acreditar em nada, viver sem fé

Princípio: Reconhecer que a origem da nossa necessidade mais profunda advém de certos princípios e como o autor do livro eu também acredito que esses princípios possuem sua base em Deus, que estabeleceu as leis naturais que regem tudo o que conhecemos.

Um prefácio abençoado

Apenas o prefácio do livro já abençoou demais a minha vida. As tendências culturais, ou seja, o que o mundo que empurrar-nos goela abaixo, afasta-nos de uma vida sadia, plenamente usufruída.

Nos ensina a não viver uma vida egoísta. Claro que devemos realizar sonhos, chegar longe, buscar atingir nossos objetivos, mas devemos ter em mente que não podemos fazer isso ignorando certos princípios.

Há um versículo bíblico que diz: De que adianta o homem ganhar o mundo e perder a sua alma? Muitos estão ganhando o mundo e perdendo o melhor da vida, que é passar tempo com as pessoas que amam, que é ser bênção na vida de alguém, alegrar o coração de quem precisa. Você pode conquistar muita coisa, sem, contudo, deixar de viver, de ter com quem compartilhar.

Acredito que é isso que o livro “Os 7 hábitos das pessoas altamente eficazes” quer nos passar. Que realizar sonhos, projetos, viagens, seja lá qual for o seu projeto de vida não significa não ter tempo para estar com quem realmente importa, não significa ter que passar por cima das pessoas para conseguir o que desejamos mas significa esforço contínuo de aprender, servir cuidar da vida que Deus nos deu, dar o nosso melhor, mas sem negligenciar o que e mais importante.

Quando eu comprei paguei quase R$60,00 , mas a boa notícia é que ele tá em promoção na Amazon por apenas R$31, 90, mas não sei até quando.

Acompanhem o blog também pelo Facebook:  CURTIR FANPAGE

 

 

 

2 Comments

  • Reply Gisley Scott julho 14, 2017 at 8:56 pm

    Eu sempre ficava em cima do muro em relação à esse livro, mas depois desse post me interessei para comprá-lo! Obrigado por dividir por aqui suas experiências. Gente, se o prefácio é desse nível, imagine o livro em si!

    Beijos!
    http://www.vivendolaforanoseua.blogspot.com

    • Reply Daniele Leite julho 19, 2017 at 11:09 pm

      É um livro muito bom, mas longo, estou lendo com calma! Eu estou gostando muito. Tem abençoado minha vida!
      Beijos!

    Deixe seu comentário!