a-quarta-revolução-industrial

O que é a Quarta Revolução Industrial e o por que você deve estar preparado

Compartilhe!

O que é a Quarta Revolução Industrial?

Até aqui a indústria passou por três grandes revoluções.

A primeira foi quando o homem deixou de utilizar animais para produzir força e passou a usar energia mecânica, principalmente através do motor a vapor. A segunda ocorreu através da energia elétrica e o conceito de divisão do trabalho, permitindo que a indústria conseguisse produzir em massa, ganhando mais eficiência e permitindo que a sociedade tivesse acesso a uma diversidade de bens de consumo.

A terceira revolução se deu por conta da utilização da eletrônica e da informática (TI), em que os microprocessadores e a computação permitiram que a produção industrial pudesse ser automatizada, atingindo um novo nível de eficiência e produtividade.

Quarta Revolução Industrial ou Indústria 4.0

Agora estamos na Quarta Revolução Industrial, onde a indústria é baseada no uso de sistemas físicos cibernéticos. Ou seja, uma série de inovações tecnológicas (Internet das Coisas, Robótica, Computação Cognitiva, Impressão 3D, Big Data, etc) estão permitindo que a indústria atinja um novo patamar em eficiência e produtividade.

O conceito de Indústria 4.0 foi criado pelos alemães em 2011 para se referir a essas fábricas inteligentes ou indústria conectada, onde as máquinas se comunicam entre si e com os seres humanos através da internet. Por isso, os americanos também chamam essa nova indústria de Internet Industrial.

Esse vídeo abaixo explica muito bem como funciona a Indústria 4.0 ou Internet Industrial.

Os Impactos da Quarta Revolução Industrial: Desafios e Oportunidades

Os avanços tecnológicos não vão afetar somente a indústria, mas todo o nosso modo de vida. A Quarta Revolução Industrial, envolve uma série de novas tecnologias que combinam os mundos físicos, biológicos e digitais e irão impactar todas as disciplinas, economias e indústrias e desafiarão, até mesmo, as nossas ideias sobre o que significa ser, ser humano.

“Nessa revolução, as diferenças entre homens e máquinas são dissolvidas e o valor central é a informação.” 

Na verdade, a Quarta Revolução Industrial é uma mudança estrutural na economia mundial que já começou e está em andamento. Estamos experimentado essas mudanças em nosso dia-a-dia e podemos observar um mundo sendo construído com uma presença cada vez maior de tecnologias digitais, mobilidade e conectividade de pessoas. No entanto, há quem tenha receio dessa nova realidade que está sendo construída.

Sobre a Quarta Revolução Industrial, o presidente do Fórum Mundial de Davos, o professor Klaus Schwab, disse que as mudanças, são tão profundas que, da perspectiva da história humana, que nunca houve um momento de maior promessa ou potencial perigo“.

Desafios e Perigos: Desemprego Tecnológico e Maior Desigualdade Social

Muitos especialistas sugerem que a quarta revolução industrial irá prejudicar mais os pobres do que os ricos, especialmente aqueles com baixa qualificação e com empregos de baixa remuneração, os quais desaparecerão em favor da automação.

Por exemplo, com aumento da automação, computadores e máquinas irão substituir os trabalhadores em uma vasta gama de indústrias: produção, transporte, alimentação, atendimento, serviços administrativos, etc.

Toda atividade rotineira e repetitiva (seja manual ou intelectual) em algum momento será substituída pelas máquinas.

E historicamente, revoluções industriais sempre começaram com grandes desigualdades, levando a uma enorme polarização de riqueza e poder, antes de ser seguido por mudanças que afetariam de forma positiva milhões de pessoas.

Desemprego: Crise econômica ou avanço tecnológico?

O economista John Maynard Keynes já havia feito uma previsão famosa, no qual afirmava que o desenvolvimento tecnológico traria desemprego porque “nossas formas de economizar no uso do trabalho crescem de forma mais rápida do que a velocidade na qual conseguimos inventar novos usos para ele”. 

Parece que é que está acontecendo hoje: estamos em um período da história em que a inovação tecnológica avança mais rápido do que a capacidade da indústria se adaptar e gerar novas funções ou mesmo de novas industrias serem criadas.

Depois das últimas recessões americanas, o nível de emprego demorou para  retornar a níveis normais, e isso se repetiu após da crise de 2008. Muitos pesquisadores afirmam que o avanço tecnológico é um dos fatores responsáveis pelo que chamam de “recuperação sem empregos” e pela desigualdade crescente das últimas décadas. Ou seja, os empregos não estão diminuindo, estão desaparecendo mesmo.

Estudos sobre Desemprego Tecnológico e o Futuro do Trabalho

Já existem diversos estudos sobre o desemprego tecnológico:

Um estudo realizado pelos pesquisadores de Oxford, Carl Benedikt Frey e Michael A. Osborne, conclui que cerca de 47 por cento dos empregos norte-americanos estão em risco de automação e podem desaparecer nos próximos dez a vinte anos.

Esse outro estudo afirma que 70% dos empregos que conhecemos hoje, desaparecerão até o final do século.

E esse relatório do Fórum Econômico Mundial é  o mais completo estudo sobre automação, desemprego e o futuro do trabalho.

Oportunidades: Como você pode se preparar para a Quarta Revolução Industrial?

Na história das revoluções industriais, veremos que a tecnologia gera novas industrias e cria mais empregos, do que elimina. Mas como vimos, estamos em um ponto da história em que a tecnologia avança mais rápido do que a capacidade da indústria e a sociedade se adaptar.

Então, qual é a saída?

Há dois caminhos, que na verdade são complementares: o Empreendedorismo e o desenvolvimento das Habilidades Humanas.

Habilidades Humanas

trabalho em equipe

A capacidade de inovação que a Quarta Revolução Industrial exige é o que justamente será a oportunidade para muitas pessoas.

Se por um lado, as máquinas substituirão os humanos em trabalhos rotineiros e repetitivos, por outro habilidades humanas como a capacidade de ser criativo e ter empatia pelo problema do outro, são características que, ainda por um bom tempo, devem ser exclusivas de seres humanos, e é o nosso diferencial em relação às máquinas.

Por isso, não devemos temer as tecnologias, mas aprender a usá-las de forma criativa e com empatia para resolvermos os desafios e problemas que milhões de pessoas enfrentam todos os dias.

Aliás, o Fórum Econômico Mundial tem uma lista de habilidades humanas a serem desenvolvidas, que serão o diferencial em um mundo cada vez mais tecnológico.

Empreendedorismo

Para os que estiverem dispostos a aprenderem novas habilidades e novas formas de pensar e fazer as coisas, essa é uma boa notícia. Dominar essas tecnologias e utilizá-las com criatividade e empatia, irá abrir oportunidades para construir um novo modelo de trabalho e estilo de vida.

E é uma notícia realmente boa, especialmente para aqueles que sonham em trabalhar com o que gostam e acreditam. Esses poderão utilizar o seus talentos, conhecimentos e criatividade para empreenderem projetos que, não só tornarão melhor a vida de outras pessoas, mas a sua própria qualidade de vida.

Habilidades Humanas e Empreendedorismo não são ensinadas nas escolas

Por outro lado, essas características que a Nova Revolução irá exigir (Criatividade, Iniciativa Empreendedora e Capacidade de Aprendizagem Contínua) não são aprendidas no modelo de educação atual, nem em escolas e nem em universidades.

Pelo contrário, esses lugares estão presos em um modelo de ensino absurdamente obsoletos e continuam ensinando memorização de fatos e fórmulas ao invés de estimular a criatividade.

Para estar preparado para essa nova realidade, que já começou, será preciso buscar outras fontes.

Minha sugestão é: aprenda tecnologia (criar um site já é um bom começo), aprenda a pensar de forma criativa e principalmente, esteja preparado e disposto para se reinventar. Afinal, a sua atual profissão pode ser extinta ou transformada nos próximos anos.

Por falar nisso, eu escrevi aqui no Emprelas sobre 7 habilidades profissionais importantes que não aprendemos na escola. Você pode dar um lida para se aprofundar.

Resumo:

Uma nova revolução industrial já começou e nessa revolução as máquinas irão substituir os humanos em muitas coisas, menos na capacidade de pensar criativamente e ter empatia. E assim novas profissões e oportunidades surgirão.

Por isso, se prepare: esteja a disposto a aprender e dominar tecnologias (Impressão 3D, Realidade Virtual, Internet das Coisas, etc) para usá-las de forma criativa e com empatia afim de criar soluções para outras pessoas e empresas.

Veja também o post: A habilidade de aprender a aprender

 

1 Comment

  • Reply Gelma Adulcina outubro 14, 2017 at 1:56 pm

    Ser útil não significa ser o melhor, é estar presente no que melhor sabe fazer!

  • Deixe seu comentário!