Como você se vê? A relação entre a autoconsciência e o sucesso

Compartilhe!

Como você se vê? A relação entre a autoconsciência e o sucesso

Ao ler os Sete hábitos das Pessoas altamente Eficazes, deparei-me com um exercício na segunda parte do livro que leva à reflexão de como enxergamos a nós mesmos. O exercício pode ser dividido em duas partes:

Parte I – Tentar se ver como se fosse alguém de fora

  • Tente sair um pouco de si mesmo;
  • Projete sua consciência para o alto;
  • Olhe para si mesmo com a visão da mente;
  • Tente ver-se como outra pessoa.

Parte II – Identificar o seu estado de espírito

  • Pense no seu estado de espírito;
  • Pergunte a si mesmo como está se sentindo;
  • Descreva esse sentimento, esse estado mental;
  • Sua mente está ativa e alerta?
  • Você está dividido entre o exercício e descobrir o propósito dele?

Com certeza, assim como eu, você ficou dividida entre fazer o exercício e descobrir o seu propósito, acertei? Isso é natural dos seres humanos e tem um nome: autoconsciência.

O que é a autoconsciência

A autoconsciência é a habilidade de pensar a respeito do próprio processo de pensamento. Graças a ela podemos avaliar e aprender com as próprias experiências e com as dos outros. A nossa autoconsciência também nos dá a capacidade de criar e romper hábitos.

Embora os pensamentos e os sentimentos nos influenciem de forma poderosa, nós não somos os nossos pensamentos e sentimentos em si. Se conseguimos refletir sobre essas coisas, de certa forma, nos separamos delas. Podemos raciocinar!

A autoconsciência, portanto permite que analisemos a nós mesmos e afeta nossas atitudes, comportamentos e o modo como enxergamos outras pessoas.

Por que isso é importante?

Bom, porque quando sabemos como nos vemos e como vemos os outros evitamos projetar no comportamento deles a nossa vontade.  Quando fazemos isso somos muitas vezes incompreensivos, exigentes demais com os outros e prejudicamos relacionamentos, porque esperamos do outro algo que ele não quer ser ou fazer.

Quando  temos essa visão pessoal fortalecida e aguçada podemos examinar melhor a nós mesmos e determinar se nossos paradigmas estão baseados em realidades e princípios , ou , se constituem uma consequência do condicionamento e das circunstâncias.

Se nos deixarmos levar pelas circunstâncias sempre nos colocaremos como vítimas das situações e colocaremos a culpa das consequências decorrentes das nossas ações, no outros. Isso é um atraso de vida, pois dicamos presos numa teia de fracasso culpando os outros e se negando a tomar uma atitude que mude nossas vidas. Se a culpa é do outro, por que eu tenho que fazer algo?

Você se vê pelos outros ou tem uma visão clara de quem você é?

O modelo social atual: o que determina os eu comportamento?

autoconsciência - pessoas

“O atual paradigma social nos diz que nosso condicionamento e nossa condição determinam o que somos. ” (Stephen Covey- Os Sete hábitos das Pessoas Altamente Eficazes, 2016).

Atualmente, exitem três mapas sociais para explicar a natureza do ser humano:

  1. O determinismo genético – a culpa é dos seus avós e por causa deles você tem o temperamento X ou Y;
  2. O determinismo psíquico – a culpa é dos seus pais. Sua educação e suas experiências de infância moldaram a sua personalidade. Você foi mimado ou podado demais…
  3. O determinismo ambiental – nesse caso a culpa é do seu chefe, do seu esposo, dos seus filhos de qualquer um , menos sua.

Os três mapas acima são baseados na teoria do estímulo-resposta que tem como referência os experimentos de Pavlov (Fisiologista russo). Mas esses experimentos foram feitos com animais – ratos, macacos, cachorros – e  com pessoas psicóticas.

Os talentos e dons únicos dos seres humanos

habilidades-skills

Nós seres humanos, possuímos dons e talentos exclusivos. Eu acredito que Deus nos criou assim, de maneira especial, à sua imagem e semelhança. Esses dons e talentos exclusivos da raça humana nos elevam acima do mundo animal . Não precisamos colocar a culpa todas nos outros ou nos cercar de teorias deterministas para explicar nosso estado atual. Entre o estímulo e a resposta há um poder maior: a liberdade de escolha. 

Nosso comportamento resulta de decisões tomadas, não das condições externas. Embora elas nos influenciem, temos a capacidade de subordinar os sentimentos ao valores que nos regem, aos nossos princípios.

Esse texto de hoje é uma pequena introdução para estudarmos um outro conceito que quero discutir com você no próximo post: o de Proatividade.

Só para adiantar Proatividade significa muito mais que tomar a iniciativa, mas implica que nós, seres humanos, somos responsáveis pelas nossas escolhas, pela nossa vida , de certa forma. Se você escolhe ter uma alimentação rica em açúcares , mesmo sabendo que é diabético , não pode culpar o ambiente caso venha a ter de amputar um dedo, por exemplo. Foi a sua escolha continuar a ter uma vida desregrada.

Bom, mas esse é só um aperitivo. Quero que você entenda que seu crescimento pessoal passa por esse viés da autoconsciência que leva ao  autoconhecimento e também pela maneira como você decidirá guiar-se: pelos seus valores e princípios ou pura e simplesmente pelas circunstâncias.

Quando entendemos isso, nos tornamos menos reativas ( pessoas que definem seu humor pelas atitudes de outras pessoas) e isso nos ajuda a estabelecermos relações muito melhores com nossos familiares, nossos colegas de trabalho, enfim, com o mundo ao nosso redor.

 

Reflexão: “Não podemos impedir que as aves voem sobre nossa cabeça, mas podemos impedi-las de fazer ninho sobre a mesma.” (dito popular, possível origem chinesa).

 

 

2 Comments

  • Reply isabel Borgert novembro 11, 2017 at 12:05 am

    Dani
    Profunda reflexão este seu texto.Essa ideia de autoconhecimento é muito importante, importante e complexa,
    É incrível o processo de olhar pra dentro e observar o que precisa ser mexido e o que precisa ser preservado.
    Seu texto chama para as razões do que fazemos. e nos orienta a não ter uma vida tão automática..
    Bjs querida e um bom fim de semana.

    • Reply Daniele Leite novembro 14, 2017 at 12:12 pm

      Esse processo de vasculhar nosso interior nos ajuda a crescer. À medida que vamos nos conhecendo um pouco mais e identificando nossas fraquezas e pontos fortes conseguimos chegar melhor e mais rápido nos nosso objetivos. Uma vida automática demais pode ser perigosa.
      Bjuu! Boa semana!

    Deixe seu comentário!